Viajei no Blue Train e fui rainha por um dia



blue train

Sempre achei viagem de trem algo charmoso e interessante. Gosto desse ritmo lento e das paisagens que vão passando na frente das janelas grandes. Durante a minha viagem pela África eu tive muita sorte, prova disso foi ter fechado esses 5 meses de aventura com uma jornada no majestoso Blue Train, um dos mais luxuosos do mundo.

Fiz uma viagem de 27 horas, por um trajeto de 1600 quilômetros, da Cidade do Cabo até Pretória, a capital da África do Sul. Imaginem um trem com serviço cinco estrelas, um mordomo para cada vagão, comida gourmet, talheres de prata, sistema all inclusive e cabines até mesmo com banheiras! Ahan, é isso mesmo.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Como o negócio era chique mesmo, no começo fiquei com receio de que não me deixassem entrar com a minha mochila, mas não tive nenhum problema. Quando cheguei na sala de embarque da estação de Cape Town, minha mochila foi etiquetada e recebida com todo o carinho. Antes do embarque, ficamos em uma sala vip onde nos serviram bebida e alguns petiscos.

blue train

 

A saída estava marcada para as 8h30, mas o trem teve um pequeno atraso e acabamos partindo às 9h.

Fiz um vídeo para vocês verem como foi a viajar nesse que é considerado um dos trens mais luxuosos do mundo.

Na minha cabine, um prato de frutas me deu as boas-vindas. Dois sofás, uma mesinha e a internet wifi foram meus companheiros de viagem. Tinha também uma tv, mas eu nem dei bola pra ela.

blue train blue train

Mal o trem partiu e lá fui eu para o banheiro para ver se era igual ao que eu tinha visto nos folders; azulejos de mármore, detalhes dourados nas torneiras e até o papel higiênico tinha uma etiqueta com a logomarca do trem. Na minha cabine não tinha banheira, mas as luxury têm.

blue train

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Logo depois apareceu um senhor com luvas brancas e uniforme azul para avisar que ele seria meu “mordomo” durante a viagem, e que se eu precisasse de qualquer coisa, era só ligar pra ele pelo telefone da cabine. Wow!

O trem começou a se mover e a Table Mountain foi ficando para trás. Aos poucos, vinhedos, paisagens desérticas e até mesmo alguns animais, como avestruzes e zebras foram se revezando pela janela. Parecia um filme em slow motion. Não é à toa que o slogan do Blue Train é “A window to the soul of South Africa”.

blue train

Depois de ter feito o reconhecimento da área, fui conhecer os outros vagões. Tem uma ala para fumadores, o club car; outra para petiscos e bebidas; dois para o restaurante; e lá no fundo o que eu mais gostei, o Observatory, com janelas enormes. Gostei de ficar sentada ali vendo o trem passar pelo trilho. Ah, também tem uma loja de joias lá dentro, que vende várias peças com tanzanite. Essa pedra em tons de azul, mais rara que o diamante, é a mais famosa e preciosa da Tanzânia. Ela só é encontrada perto do Monte Kilimanjaro.

blue train

Sabem que eu pensei que o ambiente no trem ia ser assim meio esnobe, mas fiquei surpresa ao ver que os outros viajantes eram bem descontraídos e tranquilos. A única exigência é que durante o jantar os homens vistam terno e gravata e as mulheres, roupa de festa. Como eu tinha acabado de vir de um voluntariado de 4 meses em Moçambique, vocês podem imaginar que na minha mochila não tinha nada muito luxuoso, né? Mas em Cape Town tive a sorte de encontrar uma costureira muito simpática do Congo, que fez um vestido de capulana pra mim, de um dia para o outro. Vejam que lindo que ficou!

blue train

Voltanto a comida, como sou gulosa, confesso que a hora das refeições eram as mais esperadas pela minha pessoa. O serviço é impecável; talheres de prata, louça com o emblema do trem e garçons muito atenciosos. Eu experimentei escargot com molho de curry, pato com ameixas e também carneiro. De sobremesa, adorei as peras perfumadas com canela e vinho. E como se isso fosse pouco, tudo vem acompanhado de uma seleta carta de vinhos sul-africanos premiados.

Quando voltei pra cabine para dormir, encontrei um quarto. Os sofás viraram camas muito confortáveis, com direito a edredom de penas, lençóis de puro algodão e roupão branco. Fui dormir com o balanço do trem, uma sensação parecida com aquela de estar num barco, mas essa foi um pouco mais mexida. Fiquei sabendo que o Blue Train tem um sistema de amortecedores de última geração e que nunca passa de 90 quilômetros por hora, mas mesmo assim eu sentia aquela chacoalhada de leve, mais ainda quando deitei. E não era efeito do vinho não, hein?

blue train

Durante o trajeto, o trem faz algumas paradas, mas não dá pra descer. São só pra trocar o maquinista e carregar água. No dia seguinte, o clima era de descontração e como os passageiros já se conheciam, alguns puxavam conversa. Conheci um casal de indianos que estava de lua-de-mel e outro sul-africano, que comemorava 30 anos de casamento.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

No café da manhã, gostei de tomar meu chazinho, enquanto observava como a paisagem ia mudando. Como já estávamos nos aproximando de Pretória, os arredores da grande cidade e parte da pobreza do subúrbio foram passando pela minha janela. Fiquei pensando no contraste dessa dura realidade com a opulência do interior dentro do trem.

blue train blue train

Famosos
Depois, aproveitei para tirar mais algumas fotos e conversar um pouco com o gerente. Ele me contou que em 1997, quando o Blue Train foi relançado, Nelson Mandela fez essa viagem. Ele me disse que teve a honra de ter sido seu mordomo. “Mandela é bem simples e muito atencioso. Lembro que cheguei na sua cabine de manhã e a cama já estava arrumada. Ele mesmo tinha feito. Mandela é um pessoa fora do comum”, lembrou.

Perto do meio-dia ouvi o anúncio de que a gente estava se aproximando do destino final. Hora de fechar a bagagem e voltar para a realidade de mochileira aventureira. A experiência foi bacana, mas como fiz a viagem a trabalho, acabei indo sozinha. E em alguns momentos me senti entediada. Acho que aqueles que estavam acompanhados, com certeza se divertiram mais do que eu.

Como vocês podem imaginar, a passagem do Blue Train é bem salgadinha. Em temporada baixa custa cerca de US$1300 por pessoa, mas de vez em quando eles colocam algumas promoções para o segundo passageiro ou oferecem uma noite de cortesia em algum hotel da Cidade do Cabo. Para ver os preços e os dias de viagem, cliquem aqui.

Mas há uma luz no fim do túnel, existem outros trens mais econômicos que fazem exatamente o mesmo trajeto. O Shosholoza Meyl é a linha normal de trem África do Sul, que faz várias rotas, inclusive Cape Town-Pretória e vice-versa. E a outra opção é viajar com este, que também é da Shosholoza, mas oferece um serviço de primeira classe.

O seat 61 é um site bem bacana  especializado em viagens de trens. Ali, vocês podem encontrar mais detalhes sobre essa e outras viagens pelo mundo afora.

Eu fiz essa viagem a convite do Blue Train.

Mais posts sobre a África do Sul:
Cidade do Cabo
O que fazer na Cidade do Cabo
Conhecendo a Table Mountain
Passeios românticos em Cape Town
- A ilha de Robben Island
Conhecendo a Rota dos Vinhos da África do Sul

Johanesburgo

Museu do Apartheid
Soweto e Mandela Square
Como escolher um safári na África

Encontrou a informação que precisava, foi útil? Quer me retribuir? Então reserve um hotel através do Booking que oferece ótimos descontos e cancelamento grátis. Você não paga mais se reservar por aqui e dessa maneira o Mochila Cult recebe uma pequena porcentagem pra continuar com as viagens. Agradeço desde já.

Curtiu este post? Curta também a página do Mochila Cult no Facebook!!

© Direitos reservados. Proibido reproduzir textos e fotos deste blog sem a minha autorização.

4 Comments

  1. February 21, 2013    

    Lucila, a dúvida que eu fiquei é se o valor é alto, não compensa pegar um avião? Além de mais barato, seria menos cansativo, não?

    • February 21, 2013    

      Oi. Sim, de avião é bem mais barato e mais rápido, mas a viagem de trem vale pelo luxo, pela experiência e pelas paisagens que se encontram no caminho.
      Abraços!!

      • February 21, 2013    

        É… imaginei… Trem tem uma mágica diferente mesmo!

  2. Eduardo Bueno's Gravatar Eduardo Bueno
    February 20, 2013    

    Bacana demais. Quando estava em Moçambique tive vontade de fazer esta viagem, mas nunca tive a oportunidade. Quem sabe no futuro? :)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

tango em buenos aires

Descontos? Reserve já seu hotel pelo Booking

Não perca!

anuva wines - degustação de vinhos

RECEBA OS PRÓXIMOS POSTS EM PRIMEIRA MÃO

videos

Instagram do blog

  • Presentación del libro de @estebanmazzoncini en Buenos Aires. Re bueno estuvo. #viajes #travel
    4 days ago by mochilacult Presentación del libro de @estebanmazzoncini en Buenos Aires. Re bueno estuvo. #viajes #travel
  • #instatravel #travelquotes #viagem #turismo #blogdeviagem #frasesdeviagem
    6 days ago by mochilacult #instatravel #travelquotes #viagem #turismo #blogdeviagem #frasesdeviagem
  • Tudo o que você precisa saber pra descobrir Galápagos tem neste guia online. http://mochilacult.com/2014/06/24/galapagos-guia-de-viagem/
 #galapagos #viagem #guia #equador #instatravel #blogdeviagem #blog #dicas
    15 hours ago by mochilacult Tudo o que você precisa saber pra descobrir Galápagos tem neste guia online. http://mochilacult.com/2014/06/24/galapagos-guia-de-viagem/ #galapagos #viagem #guia #equador #instatravel #blogdeviagem #blog #dicas
  • Um pouquinho da China. #viagem #instatrip #instatravel
    3 days ago by mochilacult Um pouquinho da China. #viagem #instatrip #instatravel
  • Lindo filme sobre a delicadeza do amor e da amizade. Um filme indiano que encanta pela sua simplicidade. Algo bem diferente do Bollywood tradicional. #india #filmes #movie #dicas
    1 week ago by mochilacult Lindo filme sobre a delicadeza do amor e da amizade. Um filme indiano que encanta pela sua simplicidade. Algo bem diferente do Bollywood tradicional. #india #filmes #movie #dicas
  • Um bom livro para quem gosta de histórias verídicas de ajuda ao próximo. Esse cara deixou o conforto da sua casa para construir escolas para meninas no Paquistão e Afeganistão. Mais do que louvável. #exemplo #livrorecomendado #paquistão #afeganistão
    15 hours ago by mochilacult Um bom livro para quem gosta de histórias verídicas de ajuda ao próximo. Esse cara deixou o conforto da sua casa para construir escolas para meninas no Paquistão e Afeganistão. Mais do que louvável. #exemplo #livrorecomendado #paquistão #afeganistão
  • A melhor parte do inverno; tomar um submarino (leite+barrinha de chocolate). #inverno #frio #chocolate #domingão
    3 days ago by mochilacult A melhor parte do inverno; tomar um submarino (leite+barrinha de chocolate). #inverno #frio #chocolate #domingão

O Mochila Cult no Google+